segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Jardim Público ou Jardim Florêncio Terra






Construção do início do século XIX, onde outrora se encontrava o convento de S. João.
Sofreu algumas alterações ao longo da sua existência. Recordo-o com altos muros e portões de ferro verdes que eram encerrados, ao fim da tarde, pelo jardineiro que permanecia todo o dia no local, ocupando-se da manutenção e embelezamento do mesmo.
Na década de sessenta, esses muros foram derrubados e o Jardim passou a estar permanentemente aberto.
Era um dos miradouros da cidade, bem como o Largo do Relógio, onde turistas, pintores e outros se deliciavam nas longas tardes de Verão, observando o Pico, o canal, a baía ... e registando nas suas telas ou objectivas as mil e uma cores com que somos brindados.
Nas noites quentes de Verão, a Filarmónica Artista Faialense ensaiava no coreto e então os serões eram mais animados e prolongados para a rapaziada dos bairros (Bairro do Hospital e Bairro Moreira de Carvalho ou da Polícia) que se juntava e brincava.
Hoje, o Jardim Florêncio Terra é um jardim triste. Muitas das espécies desapareceram, ou porque envelheceram, ou porque é mais bonito plantar palmeiras ( que não dão sombra e nada tem a ver com a nossa vegetação endémica).
A rapaziada desapareceu, passa o dia na escola ou em outras actividades que não havia no meu tempo de menina e moça.
O miradouro tornou-se mais pobre, as construções com volumetria desmedida para o espaço abafaram a baía, o canal. Os turistas continuam a passar, mas com um passo mais largo.

4 comentários:

Maria disse...

Faltam as gargalhadas e brincadeiras das crianças em todos os nossos jardins. Agora brincam com consolas ou com o computador...
Nos bancos de jardim agora apenas se vêem, às vezes, velhos.
E como eu gosto de coretos...

Um beijo

Jose Augusto Soares disse...

Nunca estive na Horta sem visitar este jardim.
Gosto dele, sinto-me lá bem.
Bem tratado, é acolhedor.

lalage disse...

Lembro-me dos cisnes. Ficava horas a olhar para os cisnes enquanto a Isolda (a minha cadela nos tempos em que vivi no Faial) se entretinha a perseguir pássaros e lagartixas :)
Ah! E dei, com os amigos da época, belos concertos imaginários nesse coreto :)
BOM ANO!

Anónimo disse...

Havia cisnes mas na Praça da Republica.