terça-feira, 19 de janeiro de 2010

O Poema


O poema não é o canto
que do grilo para a rosa cresce.
O poema é o grilo
é a rosa
e é aquilo que cresce.

É o pensamento que exclui
uma determinação
na fonte donde ele flui
e naquilo que descreve.
O poema é o que no homem
para lá do homem se atreve.

Os acontecimentos são pedras
e a poesia transcendê-las
na já longínqua noção
de descrevê-las.

E essa própria noção é só
uma saudade que se desvanece
na poesia. Pura intenção
de cantar o que não conhece.

Natália Correia, in "Poemas (1955)"

3 comentários:

Maria disse...

Será esta pedra um resto de lava?
O poema de Natália Correia é para ser relido, com certeza...

Beijo

Jose Augusto Soares disse...

"O poema é o que no homem
para lá do homem se atreve."

Nem mais!

João Soares disse...

“I by no means rank poetry high in the scale of intelligence -this may look like affectation but it is my real opinion. It is the lava of the imagination whose eruption prevents an earthquake.”
~Lord Byron
Um beijinho